Noticias
Reforma política elevaria a R$ 3 bi verba de campanha
  • Reforma política elevaria a R$ 3 bi verba de campanha

BRASÍLIA. Tratada até há pouco como importante medida de superação de vícios da administração pública brasileira, a reforma política está “escanteada” no Congresso e pode se resumir, na essência, a um ponto: a criação de um fundo público de campanha de pelo menos R$ 3 bilhões.

A crise que se abateu sobre Michel Temer levou o governo a priorizar a tentativa de manter o presidente no cargo. O teste prático se dará na autorização ou não, pelo plenário da Câmara, para que o Judiciário dê sequência à provável denúncia criminal contra o peemedebista.

Em segundo plano estão as reformas da Previdência e trabalhista, também afetadas pelos desdobramentos da delação da JBS. Já a reforma política está estacionada e vê o seu conteúdo ser desidratado a cada dia.

A parte principal do relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) está há mais de dois meses pronta para ser votada, sem sucesso. Há mais de 15 dias a comissão especial que debate o assunto não consegue se reunir.

Por falta da apoio, abandonou-se a implantação da lista fechada, uma das principais propostas da reforma. Nela, o eleitor deixa de escolher candidatos isolados e vota em listas pré-definidas pelos partidos. O principal argumento em defesa do modelo é o de que ele barateia drasticamente as campanhas.

Desde 2015 as empresas estão proibidas de doar para candidatos. A eleição de 2014 custou quase R$ 6 bilhões (valores atualizados), isso sem considerar os recursos não declarados à Justiça.

Com a lista fechada abandonada, Cândido agora prega só ajustes no atual modelo, como aumento do teto que pessoas físicas podem doar para campanhas (hoje 10% dos rendimentos no ano anterior), além da restrição ao número de candidatos que os partidos podem lançar.

Um grupo de legendas, lideradas pelo PMDB, quer ainda tentar emplacar o chamado “distritão” – sistema em que são eleitos os mais votados. Hoje as cadeiras na Câmara são distribuídas com base no total de votos que os candidatos do partido ou da coligação receberam.

O “distritão”, porém, já foi rejeitado pelo Congresso em 2015 e tem como um de suas consequências tornar sem efeito cerca de 60% dos votos dados pelos eleitores. Esse percentual reúne votos dados aos candidatos não eleitos mais os direcionados em excesso para os mais bem votados. No atual sistema, o percentual de votos “desperdiçados” fica em menos de 10%.

Pressão para chegar a R$ 6 bilhões

Com o fracasso da lista fechada, mais barata, o relator da reforma política, deputado Vicente Cândido (PT-SP) afirmou à reportagem que apresentará na semana que vem novo texto elevando em quase 50% o valor do novo fundo eleitoral público para financiamento das campanhas.

Em sua proposta original, esse fundo teria R$ 2,18 bilhões. Agora, subirá para R$ 3 bilhões. Deputados defendem que o valor chegue aos R$ 6 bilhões, idêntico ao declarado em 2014.

A esse valor se somariam pelo menos R$ 820 milhões do fundo partidário – hoje a principal fonte pública de financiamento dos partidos – e a renúncia fiscal para que TVs e rádios transmitam o horário eleitoral (cerca de R$ 600 milhões).

Paralelamente aos pontos debatidos na comissão especial, outra comissão da Câmara analisa proposta já aprovada no Senado para tentar reduzir à metade o número dos partidos – hoje são 35. A medida retira dinheiro público e tempo de propaganda na TV das legendas que não obtiverem um mínimo de votos.

Situação de Aécio Neves muda destino de PEC

O relator da comissão da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP), afirmou que vai incorporar ao debate do colegiado proposta de autoria do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), que pode reduzir o número de partidos.

A avaliação de membros da comissão é que a proposta de Aécio, em tramitação na Casa, perdeu força após a delação premiada da JBS – que resultou em um inquérito para investigar o político mineiro. Em depoimento, o empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa, entregou uma gravação na qual Aécio pede R$ 2 milhões para, supostamente, pagar a defesa dele na Lava Jato.

Diante do novo cenário, o presidente da comissão da reforma política, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), defendeu que o colegiado incorpore as regras da PEC de Aécio. 

O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

16/06/2017/ 09:46:04
Outras Notícias
  • Brasil vence a Costa Rica com gols no fim e desencanta na Copa
Brasil vence a Costa Rica com gols no fim e desencanta na Copa
22/06/2018/ 13:25:25

Com muito drama, muita dificuldade e tensão o Brasil conquistou sua primeira vitória na Copa do Mundo da Rússia na manhã desta sexta-feira (22). Superando uma barreira de forte marcação da Costa Rica, a Seleção Brasileira venceu por 2 a 0 em São Petersburgo e assumiu a liderança provisória do Grupo E com quatro pont...

  • Puxada por greve, energia e gasolina, prévia do IPCA atinge 1,37%
Puxada por greve, energia e gasolina, prévia do IPCA atinge 1,37%
22/06/2018/ 13:23:55

A disparada do preço da gasolina nos postos de combustível, principalmente após o término da greve dos caminhoneiros, e a alta da tarifa de energia elétrica levaram a prévia da inflação oficial na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) a atingir neste mês o maior percentual desde 2012 entre as 11 áreas pesqui...

  • Em nova fase, 'Lava Jato' prende ex-diretor da Petroquisa
Em nova fase, 'Lava Jato' prende ex-diretor da Petroquisa
22/06/2018/ 13:22:47

Foi deflagrada na quinta-feira (21) a Operação Greenwich, 52.ª fase da 'Lava Jato', para a apuração de crimes contra subsidiárias da Petrobras. Entre os presos está o ex-diretor de Novos Negócios da Petrobras Química S/A (Petroquisa) Djalma Rodrigues de Souza. A prisão preventiva foi autorizada pelo juiz da 13.ª Var...

  • Caixa volta atrás e mantém pagamento de conta de luz em lotéricas, por enquanto
Caixa volta atrás e mantém pagamento de conta de luz em lotéricas, por enquanto
22/06/2018/ 13:21:26

A Caixa Econômica Federal voltou atrás e enviou comunicado aos lotéricos informando que eles poderão manter o pagamento de boletos da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Na mensagem, o banco público informa que abriu negociações com a Cemig e que, enquanto elas não forem concluídas, o pagamento poderá...

  • Aprovado em exames, Emre Can assina contrato de quatro anos com a Juventus
Aprovado em exames, Emre Can assina contrato de quatro anos com a Juventus
22/06/2018/ 13:19:32

Pouco depois de ser aprovado em exames médicos realizados horas mais cedo, o meio-campista Emre Can assinou contrato de quatro anos com a Juventus nesta quinta-feira (21). O jogador alemão terminará de cumprir o seu contrato com o Liverpool no próximo dia 30 e, consequentemente, ficará livre para atuar pela sua nova...

  • Brasileiro trabalha 4 vezes mais que alemão pra comprar camisa da Seleção, aponta pesquisa
Brasileiro trabalha 4 vezes mais que alemão pra comprar camisa da Seleção, aponta pesquisa
22/06/2018/ 13:17:45

SÓCHI (Rússia) - A Seleção Brasileira e o time da Alemanha já podem se enfretar logo de cara nas oitavas da Copa do Mundo, fazendo um "revival" dos 7 a 1. Mas, antes desta possível vingança, o Brasil levou outra goleada dos germânicos. Utilizando o salário mínimo como base, um estudo chegou à conclusão: o brasileir ...