Noticias
Reforma política elevaria a R$ 3 bi verba de campanha
  • Reforma política elevaria a R$ 3 bi verba de campanha

BRASÍLIA. Tratada até há pouco como importante medida de superação de vícios da administração pública brasileira, a reforma política está “escanteada” no Congresso e pode se resumir, na essência, a um ponto: a criação de um fundo público de campanha de pelo menos R$ 3 bilhões.

A crise que se abateu sobre Michel Temer levou o governo a priorizar a tentativa de manter o presidente no cargo. O teste prático se dará na autorização ou não, pelo plenário da Câmara, para que o Judiciário dê sequência à provável denúncia criminal contra o peemedebista.

Em segundo plano estão as reformas da Previdência e trabalhista, também afetadas pelos desdobramentos da delação da JBS. Já a reforma política está estacionada e vê o seu conteúdo ser desidratado a cada dia.

A parte principal do relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) está há mais de dois meses pronta para ser votada, sem sucesso. Há mais de 15 dias a comissão especial que debate o assunto não consegue se reunir.

Por falta da apoio, abandonou-se a implantação da lista fechada, uma das principais propostas da reforma. Nela, o eleitor deixa de escolher candidatos isolados e vota em listas pré-definidas pelos partidos. O principal argumento em defesa do modelo é o de que ele barateia drasticamente as campanhas.

Desde 2015 as empresas estão proibidas de doar para candidatos. A eleição de 2014 custou quase R$ 6 bilhões (valores atualizados), isso sem considerar os recursos não declarados à Justiça.

Com a lista fechada abandonada, Cândido agora prega só ajustes no atual modelo, como aumento do teto que pessoas físicas podem doar para campanhas (hoje 10% dos rendimentos no ano anterior), além da restrição ao número de candidatos que os partidos podem lançar.

Um grupo de legendas, lideradas pelo PMDB, quer ainda tentar emplacar o chamado “distritão” – sistema em que são eleitos os mais votados. Hoje as cadeiras na Câmara são distribuídas com base no total de votos que os candidatos do partido ou da coligação receberam.

O “distritão”, porém, já foi rejeitado pelo Congresso em 2015 e tem como um de suas consequências tornar sem efeito cerca de 60% dos votos dados pelos eleitores. Esse percentual reúne votos dados aos candidatos não eleitos mais os direcionados em excesso para os mais bem votados. No atual sistema, o percentual de votos “desperdiçados” fica em menos de 10%.

Pressão para chegar a R$ 6 bilhões

Com o fracasso da lista fechada, mais barata, o relator da reforma política, deputado Vicente Cândido (PT-SP) afirmou à reportagem que apresentará na semana que vem novo texto elevando em quase 50% o valor do novo fundo eleitoral público para financiamento das campanhas.

Em sua proposta original, esse fundo teria R$ 2,18 bilhões. Agora, subirá para R$ 3 bilhões. Deputados defendem que o valor chegue aos R$ 6 bilhões, idêntico ao declarado em 2014.

A esse valor se somariam pelo menos R$ 820 milhões do fundo partidário – hoje a principal fonte pública de financiamento dos partidos – e a renúncia fiscal para que TVs e rádios transmitam o horário eleitoral (cerca de R$ 600 milhões).

Paralelamente aos pontos debatidos na comissão especial, outra comissão da Câmara analisa proposta já aprovada no Senado para tentar reduzir à metade o número dos partidos – hoje são 35. A medida retira dinheiro público e tempo de propaganda na TV das legendas que não obtiverem um mínimo de votos.

Situação de Aécio Neves muda destino de PEC

O relator da comissão da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP), afirmou que vai incorporar ao debate do colegiado proposta de autoria do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), que pode reduzir o número de partidos.

A avaliação de membros da comissão é que a proposta de Aécio, em tramitação na Casa, perdeu força após a delação premiada da JBS – que resultou em um inquérito para investigar o político mineiro. Em depoimento, o empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa, entregou uma gravação na qual Aécio pede R$ 2 milhões para, supostamente, pagar a defesa dele na Lava Jato.

Diante do novo cenário, o presidente da comissão da reforma política, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), defendeu que o colegiado incorpore as regras da PEC de Aécio. 

O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

16/06/2017/ 09:46:04
Outras Notícias
  • Ações sobre Lula terão sentença até 2018
Ações sobre Lula terão sentença até 2018
04/12/2017/ 10:04:21

Embora um dos principais obstáculos para disputar as eleições presidenciais do próximo ano seja uma possível condenação em segunda instância no processo do tríplex do Guarujá (SP), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda enfrentará outras batalhas jurídicas até outubro de 2018.O jornal O Estado de S. Paulo a...

  • Cruzeiro empata com Botafogo e termina em quinto
Cruzeiro empata com Botafogo e termina em quinto
04/12/2017/ 10:03:16

Na despedida da temporada, o Cruzeiro empatou com o Botafogo no Rio de Janeiro por 2 a 2, em jogo movimentado no estádio Nilton Santos, o popular Engenhão.Com o resultado, a equipe do técnico Mano Menezes encerrou o Campeonato Brasileiro da série A na quinta colocação, com 57 pontos, e a  melhor campanha do seg...

  • EUA e Coreia do Sul iniciam manobras aéreas conjuntas
EUA e Coreia do Sul iniciam manobras aéreas conjuntas
04/12/2017/ 10:02:00

stados Unidos e Coreia do Sul iniciaram nesta segunda-feira (4) um grande exercício aéreo conjunto poucos dias depois do lançamento de um míssil intercontinental norte-coreano. A operação foi considerada por Pyongyang de "provocação total".O exercício de cinco dias, batizado de Vigilant Ace, envolve mais de 230 aviõ...

  • ADVOGADOS PEDEM PRISÃO DE FERNANDO COLLOR
ADVOGADOS PEDEM PRISÃO DE FERNANDO COLLOR
04/12/2017/ 09:53:32

O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello vai ter a prisão pedida e não é por conta das investigações da Lava-Jato. Mas pelo não pagamento de pensão à ex-mulher, Rosane Malta.Collor tem, por determinação judicial, até o primeiro dia útil do mês para depositar o valor de cerca de R$ 28 mil para Rosane. O que...

  • Governo derruba liminar que impedia publicidade da reforma da Previdência
Governo derruba liminar que impedia publicidade da reforma da Previdência
04/12/2017/ 09:50:37

O governo conseguiu derrubar a liminar que suspendia a publicidade da reforma da Previdência. A decisão é do presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, desembargador federal Hilton Queiroz, que atendeu aos argumentos da Advocacia-Geral da União (AGU). Na decisão, o desembargador diz que a suspensão da pro...

  • Bombeiro furta caminhão e tenta invadir a Esplanada dos Ministérios
Bombeiro furta caminhão e tenta invadir a Esplanada dos Ministérios
04/12/2017/ 09:49:02

Um caminhão do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal teve que ser interceptado a tiros na madrugada deste domingo (3) ao tentar cruzar em alta velocidade, a Via Estrutural, sentido Congresso Nacional. A ação aconteceu quando a viatura já estava na Esplanada dos Ministérios, pouco depois da Catedral Metropolitana.Se...