Noticias
Juro alto pode ser contestado, mesmo se estiver no contrato
  • Juro alto pode ser contestado, mesmo se estiver no contrato

Aos 86 anos, o aposentado José Claudio Faria só queria viajar. Comprou um pacote para Buenos Aires, mas, devido a um problema de saúde, 12 dias antes do embarque procurou a agência com um atestado médico, explicando que teria que adiar o passeio. A resposta: dos R$ 3.325 pagos à vista, eles devolveriam R$ 1.600. “Achei um absurdo, mas me disseram que a multa, em caso de cancelamento, estava prevista no contrato. Eu não queria cancelar, só adiar. Não é certo cobrarem uma multa de praticamente 50%”, explica Faria, que procurou o Procon para registrar a reclamação.

O advogado Marcos Paulo Amorim, especialista em direito do consumidor, esclarece que, se o consumidor cancela um pacote, certamente vai gerar um ônus à agência, com remarcações e taxas já pagas. Mesmo assim, 50% é um percentual muito alto. “Mesmo que tenha sido previsto no contrato, entendo que cabe discussão sobre a abusividade da cobrança”, explica o advogado, com base no que prevê o artigo 51 do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Amorim destaca que, nesses casos, as decisões judiciais em geral têm dado ganho de causa ao consumidor, ajustando as multas cobradas a parâmetros mais equitativos. “No entanto, nem a lei, nem a jurisprudência definiram um percentual justo. E nem poderiam fazê-lo, pois cada situação deve ser analisada levando em conta circunstâncias peculiares, tais como motivo da desistência e prazo para a viagem”, ressalta.

No contrato de Faria, a agência previa multa de 35%. “Eles alegaram que só podiam reembolsar a hospedagem, mas a companhia aérea não tinha como remarcar. Só que eu não negociei com uma empresa aérea, eu fui direto na agência, onde a vendedora me tratou super bem, me fez assinar um contrato, mas ninguém da agência assinou. Eu não li o contrato, pois sou de um tempo que a palavra tinha valor. Agora eu aprendi a lição, mas vou brigar pelos meus direitos”, afirma Faria.

Aos 73 anos, Otávio Cachapuz da Cruz Machado também acreditou na boa fé dos vendedores e não leu o que estava escrito nos contratos de financiamento de eletrodomésticos. Junto com juros altíssimos, as duas lojas onde ele comprou ventilador, notebook, TV e celular embutiram um seguro de vida. O celular, por exemplo, custava R$ 1.500. Foi parcelado em 14 vezes de R$ 242,01, somando R$ 3.388,14 ao final.

Amorim afirma que os riscos de não ler o contrato são enormes. “O contrato é considerado lei entre as partes. É o instrumento apto a disciplinar a relação de consumo que está sendo formada. Descuidar-se da leitura e análise do contrato é um grave erro”, alerta o especialista.

 

CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

Art. 51. São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que:
IV - estabeleçam obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada, ou sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade

Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: 
I - condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos

Art. 47 As cláusulas contratuais serão interpretadas de maneira mais favorável ao consumidor

 

“SE FOSSE COM JOVEM, ELES NÃO FARIAM ISSO”

Na nota fiscal, o preço do notebook é R$ 1.199. Mas, ao fim das 18 parcelas de R$ 166,28, o equipamento sairá por R$ 2.993,04. Otávio Cachapuz da Cruz Machado não percebeu o quanto estava pagando a mais. “Foi minha filha que viu e disse: ‘Pai, o senhor foi roubado. Tem um seguro de vida aqui’. Tenho certeza que, se fosse com alguém jovem, os vendedores não fariam isso”, lamenta.
O especialista em direito do consumidor Marcos Paulo Amorim explica que, além dos juros abusivos, esse é um clássico caso de venda casada. “Infelizmente, grandes varejistas têm acrescentado ao valor da compra, sem o conhecimento do consumidor, diversos serviços como garantia estendida, seguro de vida etc., o que caracteriza caso flagrante de venda casada, prática abusiva condenada pelo artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor”, afirma.

Machado entrou na Justiça contra as lojas. As decisões em primeira instância mandaram as redes devolverem em dobro tudo que ele já pagou. Ele aguarda agora a decisão sobre a venda casada. 


O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

17/07/2017/ 09:57:12
Outras Notícias
  • Brasil vence a Costa Rica com gols no fim e desencanta na Copa
Brasil vence a Costa Rica com gols no fim e desencanta na Copa
22/06/2018/ 13:25:25

Com muito drama, muita dificuldade e tensão o Brasil conquistou sua primeira vitória na Copa do Mundo da Rússia na manhã desta sexta-feira (22). Superando uma barreira de forte marcação da Costa Rica, a Seleção Brasileira venceu por 2 a 0 em São Petersburgo e assumiu a liderança provisória do Grupo E com quatro pont...

  • Puxada por greve, energia e gasolina, prévia do IPCA atinge 1,37%
Puxada por greve, energia e gasolina, prévia do IPCA atinge 1,37%
22/06/2018/ 13:23:55

A disparada do preço da gasolina nos postos de combustível, principalmente após o término da greve dos caminhoneiros, e a alta da tarifa de energia elétrica levaram a prévia da inflação oficial na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) a atingir neste mês o maior percentual desde 2012 entre as 11 áreas pesqui...

  • Em nova fase, 'Lava Jato' prende ex-diretor da Petroquisa
Em nova fase, 'Lava Jato' prende ex-diretor da Petroquisa
22/06/2018/ 13:22:47

Foi deflagrada na quinta-feira (21) a Operação Greenwich, 52.ª fase da 'Lava Jato', para a apuração de crimes contra subsidiárias da Petrobras. Entre os presos está o ex-diretor de Novos Negócios da Petrobras Química S/A (Petroquisa) Djalma Rodrigues de Souza. A prisão preventiva foi autorizada pelo juiz da 13.ª Var...

  • Caixa volta atrás e mantém pagamento de conta de luz em lotéricas, por enquanto
Caixa volta atrás e mantém pagamento de conta de luz em lotéricas, por enquanto
22/06/2018/ 13:21:26

A Caixa Econômica Federal voltou atrás e enviou comunicado aos lotéricos informando que eles poderão manter o pagamento de boletos da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Na mensagem, o banco público informa que abriu negociações com a Cemig e que, enquanto elas não forem concluídas, o pagamento poderá...

  • Aprovado em exames, Emre Can assina contrato de quatro anos com a Juventus
Aprovado em exames, Emre Can assina contrato de quatro anos com a Juventus
22/06/2018/ 13:19:32

Pouco depois de ser aprovado em exames médicos realizados horas mais cedo, o meio-campista Emre Can assinou contrato de quatro anos com a Juventus nesta quinta-feira (21). O jogador alemão terminará de cumprir o seu contrato com o Liverpool no próximo dia 30 e, consequentemente, ficará livre para atuar pela sua nova...

  • Brasileiro trabalha 4 vezes mais que alemão pra comprar camisa da Seleção, aponta pesquisa
Brasileiro trabalha 4 vezes mais que alemão pra comprar camisa da Seleção, aponta pesquisa
22/06/2018/ 13:17:45

SÓCHI (Rússia) - A Seleção Brasileira e o time da Alemanha já podem se enfretar logo de cara nas oitavas da Copa do Mundo, fazendo um "revival" dos 7 a 1. Mas, antes desta possível vingança, o Brasil levou outra goleada dos germânicos. Utilizando o salário mínimo como base, um estudo chegou à conclusão: o brasileir ...