Noticias
É hora de a esquerda aprender a viver sem a perspectiva de Lula presidente
  • É hora de a esquerda aprender a viver sem a perspectiva de Lula presidente

É sempre arriscado escrever que a carreira política de Luiz Inácio Lula da Silva acabou. Sempre há o risco de se juntar à coleção de capas de revistas semanais com a foto de Lula e manchetes como "Acabou", "É o Fim" etc., cuja publicação periódica virou um ritual divertido de nossa vida pública nos últimos 20 anos.

Mas a sentença de Sergio Moro deve mesmo interromper a carreira política do político brasileiro mais importante desde Getúlio Vargas. Desde que foi ao segundo turno contra Fernando Collor em 1989, Lula foi o candidato a ser batido.

Seu governo foi muito bom, como o de FHC também havia sido. Aliás, espero que o fim de suas perspectivas eleitorais interrompa o surto de revisionismo histórico que, contra todos os números, tentava negar seus sucessos.

O tipo de compromisso que Lula instaurou para governar não era mais tão fácil quando sua sucessora assumiu a Presidência, e ela não foi capaz de forjar um outro. O fracasso espetacular da Nova Matriz Econômica teria encerrado qualquer outra carreira política. Mas os bonitões do impeachment deram a Lula um rival com 5% de popularidade, acusações de corrupção muito piores contra si, e grandes chances de arrastar todo o antilulismo consigo enquanto cai. Se a carreira de Lula for mesmo interrompida, ele se despede liderando as pesquisas presidenciais.

Desde já parece claro que a direita brasileira não pretende aprender absolutamente nada com suas derrotas para o Lulismo. Quem nasceu no último ano em que o PT perdeu uma eleição presidencial prestou serviço militar ano passado. Mas o pessoal vai continuar dizendo que foi por causa do João Santana, ou das mentiras do PT, ou porque o Foro de São Paulo e a Orcrim, ou o George Soros, enfim.

A esquerda, entretanto, não pode se dar ao luxo de ser burra. É hora de a esquerda começar a aprender a viver sem a perspectiva de Lula ser eleito presidente da República.

Em um artigo (muito interessante) publicado na revista marxista americana "Jacobin" semana passada, Benjamin Fogel e Alex Hochuli sugeriram que a perda de Lula para a esquerda é como a perda de Neymar para a seleção brasileira às vésperas do jogo contra a Alemanha, e todos sabemos como aquilo acabou.

Há mesmo um quê de "Carta da Dona Lúcia" no programa atual do PT, mas a comparação falha em um ponto crucial: a direita brasileira está longe de ser a Alemanha de 2014.

A Lava Jato mal começou a pegar os antipetistas. Nos próximos anos, os líderes da direita brasileira ou vão ser presos ou terão que arcar com o custo de terem parado a Lava Jato. A condenação de Lula, inclusive, pressiona o judiciário a também enfiar os líderes de PSDB, PMDB e DEM na cana dura.

Além disso, as reformas de Temer podem gerar demanda por candidatos que prometam moderá-las ou amortecê-las com políticas compensatórias. A política brasileira não será para sempre só discurso para empresários, como foi desde 2015.

Não se trata de subestimar o peso da saída de cena de Lula, ou o poder que os conservadores ainda têm na sociedade brasileira. Trata-se, sim, de reconhecer que eles ainda nem começaram a se conscientizar de que a democracia brasileira será sobre combate à desigualdade, ou não será nada. Enquanto for assim, as perspectivas da esquerda no Brasil continuarão muito boas. Resta saber quem vai pegar a bandeira no chão.*


Folha de SP/Liberdade FM - Foto - Divulgação

17/07/2017/ 10:26:54
Outras Notícias
  • Raquel Dodge toma posse no cargo de procuradora-geral da República
Raquel Dodge toma posse no cargo de procuradora-geral da República
18/09/2017/ 10:25:28

Há mais de três décadas no Ministério Público Federal (MPF), Raquel Dodge tomou posse na manhã desta segunda-feira (18) no cargo de procuradora-geral da República, na cadeira que foi ocupada nos últimos quatro anos por Rodrigo Janot.Em sua fala de oito minutos na cerimônia de posse, a nova chefe do Mi...

  • PMs e guarda-civil vão a júri acusados de matar 17 em chacina de 2015 na Grande SP
PMs e guarda-civil vão a júri acusados de matar 17 em chacina de 2015 na Grande SP
18/09/2017/ 10:22:37

Dois policiais militares e um guarda-civil deverão ser julgados a partir da tarde desta segunda-feira (18) sob a acusação de participarem da chacina que há dois anos deixou 17 mortos e sete feridos em Osasco e Barueri, cidades da Grande São Paulo.Segundo a acusação, os réus cometeram os crimes na...

  • Câmara tentará votar reforma política antes de receber denúncia contra Temer
Câmara tentará votar reforma política antes de receber denúncia contra Temer
18/09/2017/ 10:17:13

A Câmara dos Deputados tentará votar nesta semana a reforma política. O objetivo é garantir a aprovação de mudanças no sistema eleitoral antes de o Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhar à Casa a nova denúncia contra o presidente Michel Temer.Mesmo assim, líderes partidários ouvidos pelo G1 relatar...

  • Templo chinês de 2 mil toneladas é deslocado em 30 metros
Templo chinês de 2 mil toneladas é deslocado em 30 metros
18/09/2017/ 10:12:34

O edifício principal de um templo budista de 135 anos de Xangai, na China, foi deslocado em 30 metros em uma operação, que terminou no domingo (18), após duas semanas de trabalho. Milhares pessoas visitam o templo do Buda de Jade diariamente.As autoridades desejam evitar o risco de incêndio, relativamente elevado co...

  • Mineiros afetados pela recessão apelam à criatividade para manter padrão de consumo
Mineiros afetados pela recessão apelam à criatividade para manter padrão de consumo
18/09/2017/ 10:09:11

No começo do ano, as dificuldades financeiras apertaram Maria da Conceição de tal forma que a moradora do bairro Santa Lúcia, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, encontrou uma saída inusitada para amenizar o problema. Com o desemprego dela e do marido, a solução foi vender o imóvel em que viviam para quitar dívi...

  • Com prisão dos filhos, fundador da JBS vai assumir presidência do grupo
Com prisão dos filhos, fundador da JBS vai assumir presidência do grupo
18/09/2017/ 10:08:01

Com os filhos Wesley e Joesley Batista presos, o fundador do grupo JBS, José Batista Sobrinho, de 84 anos, vai voltar à presidência da companhia. O nome foi aprovado por unanimidade em reunião do conselho de administração na noite de sábado.O argumento da família para esse movimento é que Batista Sobrinho, conhecido...