Noticias
Justiça ordena prisão preventiva para empresários da Odebrecht
  • Justiça ordena prisão preventiva para empresários da Odebrecht

Quatro executivos e ex-executivos de grandes construtoras peruanas que foram sócias da brasileira Odebrecht ficarão sob prisão preventiva, acusados de subornar o ex-presidente Alejandro Toledo em troca do contrato de uma obra pública, determinou um tribunal.

"Este gabinete considera que existem os ingredientes de perigo de fuga e obstrução à justiça (...) É proporcional aplicar a prisão preventiva de 18 meses aos quatro investigados", disse o juiz Richard Concepción Carhuancho em uma audiência na madrugada de segunda-feira.

Na investigação estão envolvidas três das maiores construtoras do Peru: Graña e Montero, JJ Camet e ICCGSA, que trabalharam em consórcio com a Odebrecht. A Graña é uma empresa com cotações tanto na Bolsa de Lima como na de Nova York.

Pela Graña e Montero foram presos José Alejandro Graña Miró Quesada e Hernando Alejandro Graña Acuña. Pela JJ Camet o empresário Fernando Gonzalo Camet Piccone e pela ICCGSA, José Fernando Castillo Dibós.

Gonzalo Ferraro Rey, também da Graña e Montero, ficará em prisão domiciliar em uma clínica, em consequência do tratamento contra o câncer.

De acordo com a acusação, as empresas peruanas, ao lado da Odebrecht, dividiram o pagamento de um suborno de 20 milhões de dólares ao ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006) em troca da vitória em uma licitação para a construção dos trechos 2 e 3 da estrada interoceânica, que une liga o Peru ao Brasil.

"Se conclui com alta probabilidade a responsabilidade em conluio dos investigados", afirmou o juiz Richard Concepción. Ele considerou que os empresários prejudicaram a transparência de uma obra de grande envergadura.

As acusações são de conluio e lavagem de dinheiro. A decisão pela prisão preventiva foi motivada pelo possível risco de fuga dos implicados. As empresas peruanas teriam colaborado com 15 dos 20 milhões do suborno, segundo as investigações.

Jorge Barata, ex-representante da Odebrecht no Peru, revelou o pagamento como parte de um acordo de delação premiada, segundo a Promotoria.

O juiz do caso, Hamilton Castro, explicou que as construtoras peruanas disfarçaram o pagamento de suborno através de uma cessão de utilidades a Odebrecht, como reembolso pelodinheiro que a empreiteira brasileira já havia repassado a Toledo.

"Deram uma nuance, uma roupagem de algo lícito, quando na verdad não era", disse o promotor Marcial Paucar, que integra a equipe peruana responsável por investigar o alcance da operação Lava Jato no país.

Os advogados dos empresários investigados apelaram contra a decisão, mas anunciaram que seus clientes seguirão voluntariamente ao tribunal para que sejam levados à prisão.

Odebrecht, peça central nas investigações da operação Lava Jato, admite que pagou no Peru subornos que alcança, 29 milhões de dólares entre 2005 e 2014.


O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

04/12/2017/ 09:36:36
Outras Notícias
  • Com intervenção do Exército no Rio, PM reforça fiscalização na divisa
Com intervenção do Exército no Rio, PM reforça fiscalização na divisa
19/02/2018/ 16:53:57

BELO HORIZONTE - A Polícia Militar de Minas reforçou, desde o último sábado (17), o policiamento e o monitoramento na divisa com o Rio de Janeiro para impedir a migração de criminosos cariocas para o Estado, após a intervenção das Forças Armadas na capital fluminense. “A população mineira pode ficar tranquila. Nós n...

  •  Intervenção federal no RJ exigirá mandados de busca coletivos, diz ministro
Intervenção federal no RJ exigirá mandados de busca coletivos, diz ministro
19/02/2018/ 16:51:58

BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse nesta segunda-feira (19) que as operações da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro vão precisar de mandados de busca e apreensão coletivos.Ele explicou que os mandados coletivos vão abranger, em vez de um endereço específico, uma área intei...

  • Megafeira de armas é realizada na Flórida 4 dias após massacre em escola
Megafeira de armas é realizada na Flórida 4 dias após massacre em escola
19/02/2018/ 16:44:46

EUA - Apenas quatro dias após um ex-aluno matar 17 pessoas a tiros em uma escola na Flórida, o Estado americano foi palco de uma megafeira de armas com modelos de todos os tipos acessíveis e demanda aquecida principalmente pelo AR-15, o fuzil usado por Nikolas Cruz, de 19 anos, naquele que é considerado um dos piore...

  • Maia abrirá votação na Câmara hoje falando em 'guerra ao crime'
Maia abrirá votação na Câmara hoje falando em 'guerra ao crime'
19/02/2018/ 16:42:24

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), preparou um discurso para a abertura da sessão do plenário nesta segunda-feira (19), que votará o decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro.O blog obteve trechos do discurso. Em um dos trechos, Maia dirá aos parlamentares que "estamos numa guerra ...

  • Indonésia emite alertas de aviação após vulcão expelir nuvem de fumaça
Indonésia emite alertas de aviação após vulcão expelir nuvem de fumaça
19/02/2018/ 16:40:00

A Indonésia emitiu, nesta segunda-feira (19), alertas de voo ao redor do vulcão Mount Sinabung, depois da emissão de uma enorme nuvem de cinzas, sua maior erupção neste ano.O alerta emitido foi o vermelho, o mais alto da escala, e autoridades indonésias afirmam que a nuvem de cinzas atingiu 7.276 metros.Nur Isnin Is...

  • Suspeitos de matar PM em Montes Claros são mortos em troca de tiros
Suspeitos de matar PM em Montes Claros são mortos em troca de tiros
19/02/2018/ 16:38:31

Dois suspeitos de ter envolvimento no homicídio do militar acabaram morrendo nesta segunda-feira em uma troca de tiros com a Polícia Militar (PM). Conforme a corporação, os militares foram verificar uma denúncia e a dupla os recebeu à tiros. Duas armas de fogo foram apreendidas.O policial trabalhava há dois anos na ...