Noticias
Marcelo Odebrecht denuncia o próprio cunhado
  • Marcelo Odebrecht denuncia o próprio cunhado

SÃO PAULO. A batalha de Marcelo Odebrecht contra a família ganhou um novo capítulo e um novo tom. Em depoimento, que ainda continua sob sigilo, prestado à Polícia Federal, ele diz que seu cunhado e vice-presidente jurídico do grupo, Maurício Ferro, ajudou a acabar com o chamado Setor de Operações Estruturadas, mais conhecido como departamento de propinas da empresa. O pedido feito a Ferro era para que ele saneasse e extinguisse o tal departamento.

Ferro não faz parte do grupo de 78 delatores da Odebrecht após o acordo que a empresa fechou com a Procuradoria Geral da República (PGR) em dezembro de 2016. Desde 2013, ele é vice-presidente jurídico do grupo Odebrecht, o mesmo cargo que ocupou antes na Braskem, petroquímica formada pela Odebrecht e Petrobras que também se envolveu em corrupção e fez acordo para se livrar dos processos.

Segundo Marcelo, ele próprio pediu que Ferro desse fim ao departamento, quando ainda presidia o grupo, no começo de 2015. O Setor de Operações Estruturadas era subordinado diretamente a Marcelo. O executivo foi preso em junho de 2015, ficou dois anos e meio detido em Curitiba e foi colocado em prisão domiciliar pouco antes do último Natal por causa do acordo que a empresa assinou.

Marcelo prestou o depoimento em que fala do cunhado em dezembro, pouco antes de deixar a carceragem da Polícia Federal.

O desmantelamento do departamento de propina pode, em tese, ser interpretado como um ato de obstrução de Justiça. Chamado no Código Penal de “crimes contra a administração de Justiça”, ele é punido com pena de prisão de três a oito anos.

Na operação para acabar com o setor, algumas chaves de acesso aos arquivos secretos da Odebrecht foram apagadas, segundo documento do Departamento de Justiça dos EUA, onde a Odebrecht e a Braskem também fizeram acordo para se livrar de processos naquele país.

Segundo o relato que está no documento norte-americano, dois executivos que trabalhavam no departamento de propina viajaram para os EUA com o objetivo de dar cabo do sistema eletrônico que a empresa usava para manter os pagamentos ilícitos em sigilo.

Em janeiro de 2016, ainda segundo o acordo norte-americano, Luiz Eduardo da Rocha Soares e Fernando Migliaccio destruíram as chaves eletrônicas que permitiam o acesso ao sistema MyWebDay. Era por meio desse sistema que a Odebrecht controlava pagamento de propina e de caixa 2.

Essas chaves eletrônicas, que abriam o sistema criptografado, jamais foram recuperadas, segundo investigadores da Lava Jato.

Marcelo está em guerra com a família por considerar que foi o mais prejudicado com o acordo assinado pelo grupo. Enquanto ele ficou preso dois anos e meio e ficará por um período igual a esse em prisão domiciliar, outros executivos que teriam cometido irregularidades e conheciam a política de pagar propina do grupo foram preservados.

Empreiteira nega irregularidade

A Odebrecht disse em nota que não houve destruição de nenhuma prova no acordo de colaboração da empresa. Segundo a empresa, “o princípio da colaboração ampla, detalhada e contínua da Odebrecht com as autoridades é de apresentação de todas as provas disponíveis, não de omissão e muito menos de destruição de qualquer uma delas”.

Para a empresa, o fim das atividades do Setor de Operações Estruturadas “nada tem a ver com destruição de provas, mas com a cessação de suas atividades” e com a preservação de provas. Esse processo, diz a empresa, foi relatado à força-tarefa da operação Lava Jato.

“O robusto, volumoso e detalhado material probatório, consubstanciado em e-mails, documentos, contratos, hard disks e arquivos eletrônicos, entregue às autoridades brasileiras e estrangeiras e já periciado pela Policia Federal comprova a qualidade e eficácia da colaboração da empresa”.

Segundo a Odebrecht, o departamento de operações estruturadas dispunha de dois sistemas digitais (Drousys e MyWebDay) e ambos foram entregues às autoridades. No caso do MyWebDay, a companhia colocou à disposição mais de 30 mil arquivos. Dados de investigações internas, que não faziam parte do acordo, também foram entregues.

As eventuais lacunas, de acordo com a nota, devem-se a fatos que a companhia não tem controle: “A Odebrecht esclareceu ao Juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba que não dispõe de credenciais de acesso a dados cifrados do sistema MyWebDay, que se encontra atualmente apreendido, custodiado e gerenciado pelas autoridades suíças”.

A nota diz ainda que “a empresa está realizando todos os esforços com o objetivo de colaborar e auxiliar as autoridades nas investigações”.


O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

05/02/2018/ 09:48:34
Outras Notícias
  • Técnicos devem apresentar hoje a Guedes proposta final da Previdência
Técnicos devem apresentar hoje a Guedes proposta final da Previdência
12/02/2019/ 09:46:20

Os técnicos do Ministério da Economia devem apresentar nesta terça-feira (12) ao ministro Paulo Guedes a proposta final sobre o texto da reforma da Previdência.A equipe do secretário de Previdência, Rogério Marinho, passou o último fim de semana debruçada sobre o texto. Os responsáveis pela base ...

  • Empresa de helicóptero não podia fazer táxi aéreo, aponta Anac
Empresa de helicóptero não podia fazer táxi aéreo, aponta Anac
12/02/2019/ 09:44:19

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou que o helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera no início da tarde desta segunda-feira (11), em que o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci morreram, não podia fazer táxi aéreo, mas sim prestar serviços de reportagem aérea. Ainda segundo a A...

  • Congressistas fecham acordo provisório para evitar nova paralisação nos EUA
Congressistas fecham acordo provisório para evitar nova paralisação nos EUA
12/02/2019/ 09:41:24

Parlamentares democratas e republicanos anunciaram ter alcançado na noite de segunda-feira (11) um acordo provisório para evitar uma nova paralisação do governo dos Estados Unidos, que poderia acontecer no fim desta semana."Alcançamos um acordo de princípio sobre segurança interna, entre outros", disse o senado...

  • Vistoria no CT do Flamengo hoje vai apurar supostas irregularidades
Vistoria no CT do Flamengo hoje vai apurar supostas irregularidades
12/02/2019/ 09:39:50

Autoridades devem fazer uma inspeção no centro de treinamento do Flamengo, o Ninho do Urubu, nesta terça-feira (12) para definir se há necessidade de interdição. Corpo de Bombeiros, Prefeitura do Rio e Polícia Civil estarão no local às 10h. O objetivo é apurar possíveis irregularidades no local, onde dez garoto...

  • Era o ateu que mais praticava o amor ao próximo, diz viúva de Boechat
Era o ateu que mais praticava o amor ao próximo, diz viúva de Boechat
12/02/2019/ 09:17:51

A viúva de Ricardo Boechat, Veruska Boechat, afirmou durante o velório do jornalista, que começou na noite de segunda-feira (11) e continuava na manhã desta terça (12), que ele foi o ateu que mais praticava o amor ao próximo.“Meu marido era o ateu que mais praticava o mandamento mais importante de todos, que era o a...

  • CAP anuncia desligamento de Wellington Fajardo do comando técnico
CAP anuncia desligamento de Wellington Fajardo do comando técnico
12/02/2019/ 09:15:14

O Patrocinense anunciou na tarde desta segunda-feira a demissão do técnico Wellington Fajardo. O profissional comandou o time em seis jogos no Campeonato Mineiro, com duas vitórias, dois empates e duas derrotas. A equipe atualmente está em quinto lugar, com oito pontos.Internamente, a saída do profissional foi motiv...