Noticias
Lei obriga empresas a divulgar diferença salarial entre sexos
  • Lei obriga empresas a divulgar diferença salarial entre sexos

Para eles, cada hora trabalhada custa, em média, R$ 14,55. Para elas, é R$ 11. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua do último trimestre do ano passado, no Brasil, a remuneração média das mulheres é 32,2% menor do que a dos homens. Para combater essa disparidade salarial entre gêneros, a senadora Rose de Freitas (Podemos-ES) foi buscar inspiração na legislação trabalhista do Reino Unido e apresentou um projeto para que as empresas com mais de 250 funcionários sejam obrigada a divulgar, uma vez por ano, a média salarial dos homens e das mulheres.

A ideia é acrescentar à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) um artigo prevendo que o empregador divulgue, até o quinto dia útil do mês de abril de cada ano, a diferença nominal e percentual da massa salarial entre empregados homens e mulheres. “A proposição visa a estabelecer um debate vivo em nossa sociedade sobre o tema da igualdade de gênero no trabalho e estimular a transparência dessas informações no mercado de trabalho formal”, afirma a senadora na justificativa do Projeto de Lei do Senado (PLS) 205/2018. 

A proposta fixa multa de R$ 100 mil a R$ 1 milhão, em caso de descumprimento da imposição. Para a diretora setorial do Instituto de Defesa da Classe Trabalhadora (Declatra), Cristiane Fonseca, os efeitos serão muito positivos. “Hoje, temos juridicamente o princípio da igualdade garantido pela Constituição. Também somos signatários da Convenção 100 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que prevê igualdade salarial entre gêneros. Tudo isso é formal, mas não é real. Por isso, projetos como esses são importantes, porque, antes da questão de leis, precisamos da conscientização da sociedade para que essa discriminação não aconteça. A multa é um bom instrumento”, afirma a advogada.

O PLS 205 foi enviado para a Comissão de Assuntos Sociais do Senado no último dia 7. Mas ele não é o único a tratar sobre o tema. No dia 3 de maio, o PLS 33/2018, do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), foi aprovado e enviado à Câmara dos Deputados. Além da multa para as empresas que descumprirem a igualdade salarial entre gêneros e etnias, ele propõe a inclusão do infrator em uma “lista suja”. “A aprovação é um avanço que pune a discriminação salarial. O projeto cria a divulgação de um cadastro de empregadores que praticarem essa discriminação salarial. Numa sociedade onde ainda se vive o machismo e números alarmantes de discriminação salarial, é muito importante dar maior efetividade no combate à prática. Já tem multa prevista na reforma trabalhista, mas, pelo novo projeto de lei, a aplicação de penalidades é mais imediata”, afirma.

A engenheira Flávia*, 43, conta que, ainda na faculdade, seus professores a alertavam que havia diferença de tratamento entre gêneros. “Diziam que nós, mulheres, não conseguiríamos ir para obra, porque tem um preconceito muito grande”, disse. Após a formatura, ela foi trabalhar em obras e, muitas vezes, era a única mulher. “Eu, feminista que sou, desafiei todas as leis machistas”, disse. Mas Flávia encontrou na diferença salarial seu maior desafio. “Eu recebia a metade do que os homens recebiam”, completou. As justificativas para a diferença eram muitas. “Você ainda não tem tanta experiência, diziam os empregadores. Eu respondia: ‘Poxa, já tenho 20 anos na área’. E aí a pessoa ficava calada”, lamenta.

Nova Lei. Nas contas do governo britânico, a eliminação das disparidades salariais de gênero poderia adicionar o equivalente a R$ 600 bilhões ao PIB do país a partir de 2025. 

*Preferiu não mencionar o sobrenome

Há discriminação nas promoções de cargo

A administradora Alexandra Campos, 51, vive na pele a discriminação salarial. Há mais de 20 anos na mesma empresa de engenharia, e apesar da elevada capacitação, não tem as mesmas chances de progressão salarial. “Quando tem alguma promoção, a empresa não contempla as mulheres, e isso tira a chance de ganharmos mais. Antes de ficar grávida, eu estava sendo cotada para assumir uma chefia. Voltei da licença, e o coordenador disse que, embora tivessem me prometido a promoção, ela não aconteceria e, se eu não estivesse satisfeita, poderia ir embora. Foi muito chocante”, lembra.

“Tal prática é abominável na esfera social ou jurídica. Entende-se que, mesmo com todo o avanço e superação nessa sociedade patriarcal, existem ainda muitas situações que já são levadas ao Poder Judiciário, que revela que ainda existe essa discriminação das mulheres”, afirma a diretora do instituto Declatra, Cristiane Fonseca.


O Tempo/Liberdade FM - Foto - Divulgação

11/05/2018/ 09:42:27
Outras Notícias
  • Ceará com mais de 160 ataques, medo na população e Força Nacional nas ruas
Ceará com mais de 160 ataques, medo na população e Força Nacional nas ruas
09/01/2019/ 09:26:15

A série de ataques criminosos contra ônibus, bancos, prefeituras, comércios e prédios públicos que atinge Ceará completou uma semana. Desde quarta-feira (2), o G1 contabilizou 164 ataques em 41 dos 184 municípios cearenses. Para tentar conter a onda de violência em Fortaleza e no interior, o estado re...

  • Fim da novela: após acordo com Cruzeiro, Flamengo acerta contratação de Arrascaeta
Fim da novela: após acordo com Cruzeiro, Flamengo acerta contratação de Arrascaeta
09/01/2019/ 09:24:37

Fim da maior novela da janela de transferências até o momento! Após se alinhar com o Cruzeiro, o MarcosBraz@marcosbrazrioA tranquilidade continua para seguir contratando... Gelo no sangue !24.4K10:33 PM - Jan 8, 2019Twitter Ads info and privacy10.7K people are talking about thisTwitter Ads info and privacyA NOV...

  • Trump alega 'crise humanitária' ao defender muro com o México
Trump alega 'crise humanitária' ao defender muro com o México
09/01/2019/ 09:21:07

O presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu a construção do muro com o México em pronunciamento na noite de terça-feira (madrugada de quarta, no Brasil). Ele disse que há uma crise humanitária e de segurança na fronteira e voltou a culpar os democratas pela paralisia orçamentária."Meus compatriotas americanos,...

  • Previdência será apresentada com regime de capitalização, diz Guedes
Previdência será apresentada com regime de capitalização, diz Guedes
09/01/2019/ 09:18:56

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou nesta terça-feira (8) que o governo incluirá na proposta de reforma da Previdência Social, a ser enviada ao Congresso em fevereiro, a previsão de um regime de capitalização.A capitalização é uma espécie de poupança que o próprio trabalhador faz para assegurar a apo...

  • Tribunal de Tóquio rejeita pedido para libertar Ghosn
Tribunal de Tóquio rejeita pedido para libertar Ghosn
09/01/2019/ 09:16:35

O Tribunal Distrital de Tóquio rejeitou nesta quarta-feira (9) um pedido da defesa de Carlos Ghosn pela soltura do ex-presidente do conselho da Nissan, que está preso desde 19 de novembro acusado de irregularidades financeiras, segundo a imprensa local.Na véspera, o brasileiro apareceu em público pela primeira ...

  • Atualização do WhatsApp permite responder mensagens em particular nos grupos
Atualização do WhatsApp permite responder mensagens em particular nos grupos
09/01/2019/ 09:14:52

Já está disponível para Android e iOS uma atualização do aplicativo que permite simplificar a troca de mensagens em grupos. Agora é possível selecionar uma mensagem específica num grupo e respondê-la em particular para o contato. Antes era possível interagir dessa forma, apenas através da opção "Conversar com". A di...