Noticias
MP aponta gasto de R$ 520 mil acima da renda de Wellington Magalhães
  • MP aponta gasto de R$ 520 mil acima da renda de Wellington Magalhães

O vereador afastado Wellington Magalhães (PSDC) registrou, de 2010 a 2016, gastos de R$ 1,594 milhão, R$ 520 mil a mais do que os rendimentos obtidos pelo parlamentar no período. Esses dados, que excluem as aquisições patrimoniais, constam da denúncia oferecida pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), na última quarta-feira, contra o ex-presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte.

A denúncia, produzida com base em investigações da Polícia Civil e em levantamentos feitos pelo próprio Ministério Público, ressalta que o parlamentar possuía remuneração bruta de R$ 15.066,59, caindo para R$ 8.491,39 líquidos mensais, o que seria incompatível com o padrão de vida que levava, bem como com as aquisições patrimoniais que fez no período.

Entre os bens conquistados estão um veículo Evoque Dinamique, um Jeep Cherokee, cotas da empresa Pampulha Depilação a Laser e uma casa situada na avenida Otacílio Negrão de Lima, na Pampulha. 

“Quanto à luxuosa mansão, situada na avenida Otacílio Negrão de Lima, esclareceram os peritos que o valor do imóvel, utilizado como base de cálculo para apuração do ITBI/ITCD, foi de R$ 1.374.107,88. No entanto, o imóvel foi registrado por R$ 960.000,00, valor este bem inferior não apenas em relação à base de cálculo, mas também em relação ao valor de mercado do bem”, destaca a denúncia.

O Ministério Público considera que as cifras podem ser bem maiores, tendo em vista que muitas despesas do núcleo familiar de Wellington Magalhães não foram incluídas no laudo.

“Quanto às despesas do núcleo familiar, importante salientar a existência de outros dispêndios devidos pelos denunciados Wellington Magalhães e Kelly Jaqueline (mulher do parlamentar) e não incluídos no laudo pericial, por não constarem em seus dados fiscais e bancários”, diz trecho da denúncia.
Entre as despesas que não teriam sido declaradas estão gastos médicos, com dentistas, planos de saúde, salário de empregados domésticos, além de casa e lote no condomínio Aldeias do Lago, em Esmeraldas, na Grande BH.

As filhas de Wellington, também ouvidas na fase de investigação, admitiram que não trabalham e não fazem estágio remunerado. Portanto, não têm fonte de renda. Uma delas cursa medicina, pagando mensalidade de aproximadamente R$ 7 mil, e a outra faz direito, também em escola particular, com mensalidade de cerca de R$ 2 mil.

Segundo o Ministério Público, os gastos com ambas eram arcados por Wellington Magalhães. “Comprovando este fato, foram localizados no gabinete do denunciado na CMBH recibos de pagamentos de escola das filhas em nome dele”, revela o documento.

Procurada, a defesa de Wellington Magalhães não se manifestou ontem sobre as denúncias.

 


Promotores apuram também ‘embaraço’ às investigações

Além das investigações sobre lavagem de dinheiro, a denúncia do Ministério Público trata ainda do crime de embaraço às investigações e de infração penal que envolva organização criminosa. 

Segundo o Ministério Público, Wellington Magalhães, a esposa, Kelly, e o assessor, Rodrigo Dutra, teriam tentado impedir que a Polícia Civil realizasse o trabalho durante a Operação Santo de Casa, deflagrada em 6 de dezembro de 2016. 

O documento afirma que os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão e condução coercitiva dos denunciados, entre eles Wellington Magalhães e, ao chegarem à mansão do vereador, “verificaram que seus proprietários não se encontravam e que o interior do imóvel estava totalmente assepsiado, sem qualquer material a ser arrecadado, valendo destacar que, inclusive, o cofre existente no interior da residência foi encontrado aberto e vazio”.

Além disso, um vigia informou aos investigadores que havia recebido ordem de Wellington para fazer a guarda da residência.

Após interceptação telefônica, a polícia concluiu que o vereador teria recebido informações privilegiadas sobre a realização da operação de busca e apreensão e tentou, por isso, dificultar as apurações, que investigavam crimes de corrupção ativa, passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro envolvendo organização criminosa. 

O documento aponta ainda que os envolvidos foram responsáveis por remover e ocultar diversas provas de interesse da investigação, “seja deslocando, para local incerto e não sabido, provas materiais dos crimes, seja prestando auxílio material sem o qual a empreitada criminosa não seria consumada.”


Hoje em Dia/Liberdade FM - Foto - Divulgação

11/05/2018/ 09:46:13
Outras Notícias
  • Licenças sem justificativa custam ao Senado quase R$ 1,5 milhão em 3 anos, aponta levantamento
Licenças sem justificativa custam ao Senado quase R$ 1,5 milhão em 3 anos, aponta levantamento
18/05/2018/ 10:06:16

Em pouco mais de três anos da atual legislatura, quase todos os senadores utilizaram a chamada "licença para atividade parlamentar", que permite faltar a uma sessão deliberativa sem apresentar justificativa e sem desconto no salário.Segundo levantamento do G1, nesse período, 76 senadores atualmente no exercício...

  • Platini cita
Platini cita "pequena trapaça" para que França pegasse Brasil na final em 1998
18/05/2018/ 09:53:36

A derrota do Brasil para a França na final da Copa do Mundo de 1998, com o mistério sobre o mal estar de Ronaldo horas antes, já foi motivo para suspeitas e muitas teorias de conspiração desde então. E Michel Platini confirmou que houve uma "pequena trapaça" por parte da organização daquele Mundial - mas muito antes...

  • Príncipe Charles levará Meghan Markle ao altar
Príncipe Charles levará Meghan Markle ao altar
18/05/2018/ 09:51:31

O príncipe Charles, pai do príncipe Harry, levará a atriz Meghan Markle até o filho no altar da capela do Castelo de Windsor no próximo sábado (19). Harry e Meghan se casarão diante de 600 convidados na capela de São Jorge.Até o momento não se sabia quem levaria Meghan até o altar, porque se...

  • Ao decretar prisão de Dirceu, juíza alerta para 'processos sem fim'
Ao decretar prisão de Dirceu, juíza alerta para 'processos sem fim'
18/05/2018/ 09:49:30

Ao mandar prender o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula), a juíza Gabriela Hardt, substituta do juiz Sérgio Moro, afirmou que "a execução após a condenação em segundo grau impõe-se sob pena de dar causa a processos sem fim e a, na prática, impunidade de sérias condutas criminais". A magistrada determino...

  • Estudantes têm até hoje para se inscrever no Enem; prova será em novembro
Estudantes têm até hoje para se inscrever no Enem; prova será em novembro
18/05/2018/ 09:47:56

Termina nesta sexta-feira (18) às 23h59 (horário de Brasília) o prazo para os estudantes se inscreverem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018. As inscrições são feitas pela internet, na página do participante.Mesmo os candidatos que pediram a isenção da taxa do Enem devem fazer a inscrição para a prova. P...

  • Principal alvo de megaoperação contra pedofilia é preso em Uberlândia
Principal alvo de megaoperação contra pedofilia é preso em Uberlândia
18/05/2018/ 09:45:28

A Polícia Civil prendeu  na manhã de hoje (17), em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o alvo número um da operação Luz da Infância 2, que ocorre em 24 Estados e no Distrito Federal. O homem de alto poder aquisitivo é advogado e tem 26 anos. De acordo com a polícia, com ele foram encontrados pelo menos,...