Noticias
Senado aprova projeto que obriga plano de saúde a cobrir Covid-19
  • Senado aprova projeto que obriga plano de saúde a cobrir Covid-19

o de saúde a dar cobertura para tratamento da covid-19

Pela proposta, seguradoras também terão de cobrir casos de morte provocada pelo coronavírus. Texto foi aprovado por unanimidade e seguirá para votação na Câmara.

Por Sara Resende, TV Globo  


Senado aprovou por unanimidade (77 votos a 0), em sessão remota nesta quarta-feira (20), projeto que obriga planos de saúde e seguros de vida a cobrirem os casos de doença e morte provocados pelo novo coronavírus.

O texto segue para a Câmara. Para virar lei, além da confirmação dos deputados, a proposta necessitará da sanção presidencial.

O projeto altera uma lei, criada este ano, que estabelece medidas de enfrentamento à pandemia de coronavírus.

Um dos artigos da lei obriga órgãos dos governos federal, estadual e municipal a compartilharem entre si dados de identificação de pessoas infectadas ou com suspeita de terem contraído a covid-19, doença provocada pelo coronavírus.

A relatora do texto, senadora Leila Barros (PSB-DF), incluiu nesse artigo a previsão de que o seguro de assistência médica e o de vida terão de cobrir casos de doenças disseminadas em contexto de pandemia, como a do coronavírus.

A proposta garante, portanto, o serviço ao consumidor que tenha plano de saúde, seguro de vida e seguro de invalidez permanente.

Como o projeto de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) muda uma lei que trata somente de ações relacionadas à pandemia de coronavírus, os planos de saúde e as seguradoras, pela proposta, ficam obrigados a dar assistência somente aos pacientes acometidos pela covid-19, e não por doenças de outras eventuais epidemias.

O texto deixa claro que essa cobertura não poderá ocasionar o aumento do valor do plano do segurado.

O seguro de vida geralmente é oferecido por banco ou seguradora. O cliente paga um valor específico e, em troca, caso aconteça algum acidente que resulte em morte, o dinheiro da reserva é destinado à família desse segurado. Alguns planos cobrem até eventuais empréstimos ou parcelas pendentes devidas pela vítima.

Pela proposta, o pagamento da indenização deverá ser feito em até dez dias, a partir da data da entrega da documentação que comprove o contrato realizado.

Conforme o texto, a operadora do plano de saúde e do seguro de vida ficam proibidas de romper contratos se os segurados deixarem de pagar mensalidades durante o período de calamidade pública, em vigência no Brasil desde 20 de março e até 31 de dezembro deste ano.

Quando acabar esse prazo, antes de suspender o acordo com o cliente inadimplente, a empresa terá de possibilitar o parcelamento do débito, em benefício do consumidor.

A relatora esclarece que atualmente os planos e seguros já permitem que o consumidor escolha se quer incluir ou não o risco de doença pandêmica na cobertura.

Mas, diante da necessidade da situação atual, de transmissão facilitada e comunitária no país, é importante que mesmo os planos sem essa cláusula deem tratamento ao paciente com coronavírus.

"Entendemos que a obrigação de realizar o pagamento das indenizações aos beneficiários, independentemente da existência de clausula que a exclui, deve ser restrita à atual pandemia de coronavírus. Trata-se de situação transitória que não deve resultar no aumento do preço do prêmio do seguro de forma permanente, uma vez que a medida não alcança futuras pandemias ou epidemias que podem, infelizmente, ser ainda mais graves do que a atual", afirmou Leila Barros.

O projeto não especifica qual o tipo de plano e de seguro será incluído na regra. Então, o texto abrange qualquer contrato firmado nesse sentido.


G1/Liberdade FM - Foto - Divulgação

21/05/2020/ 10:01:45
Outras Notícias
  • Caixa paga hoje novos lotes de R$ 600; veja quem recebe
Caixa paga hoje novos lotes de R$ 600; veja quem recebe
21/05/2020/ 09:54:37

A Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta quinta-feira (21) novos lotes do Auxílio Emergencial, tanto da primeira parcela, para novos aprovados, quanto da segunda, para quem recebeu a anterior até 30 de abril.Veja quem recebe nesta quinta:Segunda parcela: 5,3 milhões trabalhadores inscritos no Cad...

  • Mario Frias aceita convite de Bolsonaro para assumir Cultura
Mario Frias aceita convite de Bolsonaro para assumir Cultura
21/05/2020/ 09:52:13

O ator e apresentador Mario Frias aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial de Cultura na noite desta quarta-feira. Ele substituirá a atriz Regina Duarte, que ficou pouco mais de dois meses na função e irá comandar a Cinemateca, em São Paulo.A informação do "sim" dito por Fria...

  • Paulo Marinho depõe por cinco horas e, ao sair, alega sigilo
Paulo Marinho depõe por cinco horas e, ao sair, alega sigilo
21/05/2020/ 09:50:29

O depoimento foi prestado a delegados da PF e procuradores do Ministério Público Federal. Enquanto os policiais reabriram um procedimento antigo sobre o suposto vazamento da operação Furna da Onça, o MPF abriu um inquérito a partir das declarações do empresário."Para não prejudicar as investigações, não posso dar ne...

  • Lula pede desculpas após fala polêmica sobre o coronavírus
Lula pede desculpas após fala polêmica sobre o coronavírus
21/05/2020/ 09:49:19

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi às redes sociais para pedir desculpas por uma declaração que deu sobre a pandemia do coronavírus em uma entrevista à revista Carta Capital, divulgada nesta terça-feira (19). Durante a conversa, que foi gravada em vídeo, o petista chegou a di...

  • Governo adia o Enem e embaralha o calendário universitário
Governo adia o Enem e embaralha o calendário universitário
21/05/2020/ 09:47:43

.Fuvest e UnicampVestibulares como os da Fuvest, que seleciona os candidatos para a Universidade de São Paulo (USP), e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por exemplo, utilizam o Enem para preencher parte de suas vagas. Segundo o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, o calendário ainda será discutido na ins...

  • Coronavírus já responde por 20% das novas ações trabalhistas
Coronavírus já responde por 20% das novas ações trabalhistas
21/05/2020/ 09:45:51

Ao longo dos últimos 30 dias, 455 trabalhadores entraram na Justiça diariamente alegando que foram demitidos em função da crise do novo coronavírus. Eles afirmam que, após a dispensa, não receberam o conjunto ou parte das verbas rescisórias obrigatórias, compostas pelo aviso prévio, férias vencidas e ...