Noticias
Guedes defende novo imposto: está de acordo com as principais economias do mundo
  • Guedes defende novo imposto: está de acordo com as principais economias do mundo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu, em live promovida pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP) na noite desta quarta-feira (14), a criação de um novo imposto com base digital.

Segundo o ministro da Economia, o assunto foi discutido em reunião fechada com representantes do G20 na tarde desta quarta-feira (14). 

“Todos reconhecem que a dimensão digital veio para ficar e que o crescimento da base tributária vai ser digital”, destacou.


O chefe da Economia, no entanto, pontuou que “jamais” pensou na criação de um imposto novo. “Tínhamos a expectativa de fecharmos um acordo com os estados. E daí, a promessa de desonerar a folha de pagamentos para que os setores de serviços e comércio, que são responsáveis pela geração de 75% dos empregos no Brasil, tivessem essa compensação. Eu jamais pensaria nesse imposto. Eu detesto impostos, quanto mais impostos novos. Mas aproveitando que a economia digital”, disse.

A tributação digital, de acordo com ele, partiria da cobrança do “tráfego de informações” em serviços digitais.

“Por isso que eu sempre dizia que não era só um retorno da CPMF. Esse imposto não passa nem pelos bancos. Ele transcende. Ele é uma infovia digital. Se você está usando uma infovia digital que o governo fez, disponibilizou grátis para todos os brasileiros, ele pode cobrar um pequeno imposto pelo tráfego de informações”, destacou o ministro. 

Segundo o ministro, cobranças nos moldes da CMPF já são cobradas por bancos brasileiros e as alíquotas são “dez vezes mais do que a gente está querendo cobrar”. 

“Eu acho que os bancos vão usar também. Os bancos já cobram uma CPMF hoje. A Febraban é quem mais subsidia e paga economistas para dar consultoria contra esse imposto. Mas a Febraban está fazendo isso porque querem beber essa água onde os bancos bebem. Vê aí as transferências que vocês fizeram no mês passado. Os bancos cobram 2%, 1%, 3%. A exceção é grande cliente. Quando ele tem R$ 10 milhões [na conta] ele não paga. O banco cobra 10 vezes mais pela TED do que o imposto que nós estamos querendo pelo tráfego digital.”

Paulo Guedes ainda ressaltou que a desoneração de impostos é influenciada pelo “poder político” do contribuinte.

“Quando os impostos são disfuncionais quem tem poder político vem a Brasília e consegue a desoneração e poder econômico contrata os maiores escritórios de advocacia e em vez de pagar R$ 2 bilhões para União, prefere pagar R$ 200 milhões para um escritório de advocacia.”


CNNBrasil/Liberdade FM - Foto - Divulgação

15/10/2020/ 09:48:48
Outras Notícias
  • O que ocorre se Trump e Biden empatarem no Colégio Eleitoral?
O que ocorre se Trump e Biden empatarem no Colégio Eleitoral?
26/10/2020/ 12:47:46

Num país em que o ambiente político está polarizado ao extremo, o número 269 equivale para os americanos ao cenário de um pesadelo — ou seja, democratas e republicanos saem empatados com a mesma fração de delegados no Colégio Eleitoral.As pesquisas têm indicado uma vantagem estável para Joe Biden sobr...

  • Ministro afirma que Cristiano Ronaldo é investigado por quebra de protocolo
Ministro afirma que Cristiano Ronaldo é investigado por quebra de protocolo
26/10/2020/ 12:44:28

O ministro dos Esportes da Itália, Vincenzo Spadafora, voltou a criticar Cristiano Ronaldo, que se recupera do coronavírus. De acordo com ele, o craque da Juventus violou os protocolos sanitários para evitar a propagação da doença ao se apresentar à seleção de Portugal na última Data Fifa, retornando ao país infecta...

  • Deputados articulam projeto para destravar reformas e PEC da 2ª instância
Deputados articulam projeto para destravar reformas e PEC da 2ª instância
26/10/2020/ 12:42:03

Lideranças partidárias na Câmara dos Deputados articulam a votação de um projeto de resolução para autorizar o retorno dos trabalhos das chamadas comissões especiais na Casa.Esses colegiados apreciam o mérito de matérias importantes, como propostas de emenda à Constituição (PECs), mas estavam suspensos dur...

  • Bolsonaro se irrita com cobrança sobre o preço alto do arroz
Bolsonaro se irrita com cobrança sobre o preço alto do arroz
26/10/2020/ 12:39:35

Durante passeio de moto em Brasília neste domingo, 25, o presidente Jair Bolsonaro irritou-se com o pedido de um homem, não identificado, sobre o preço do arroz. O chefe do Executivo fez um passeio hoje por regiões do Distrito Federal acompanhado dos ministros Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, e Braga Ne...

  • Brasil gasta mais na pandemia e fica pior que emergentes
Brasil gasta mais na pandemia e fica pior que emergentes
26/10/2020/ 12:37:25

O Brasil vai terminar 2020 com a pior situação fiscal entre os maiores países emergentes. Com condições desafiadoras tanto em relação às despesas quanto ao crescimento, o País gastou mais para combater a crise causada pela pandemia de covid-19, o que levou sua dívida para quase o dobro da média desses mercados. A fa...

  • Empresa da família de vice de Bruno Covas recebeu R$ 50 mil
Empresa da família de vice de Bruno Covas recebeu R$ 50 mil
26/10/2020/ 12:35:38

Uma empresa da família do candidato a vice-prefeito da chapa de Bruno Covas (PSDB), Ricardo Nunes (MDB), recebeu R$ 50 mil de creches conveniadas com a Prefeitura, para prestação de serviços sem licitação no ano passado. As creches são dirigidas por aliados políticos do candidato, que é vereador desde 2012.A empresa...